Além das circunstâncias

Nem sempre é fácil diante de situações difíceis e doloridas encontrarmos forças para passarmos por essas situações. Algumas notícias nos chocam e, sem dúvidas, nos levam a reflexão. Nestes dias de retiro, lendo sobre um acidente ocorrido em Aquidauana-MS, o que me chamou atenção foi com quem ele aconteceu. Um grupo da Igreja Presbiteriana do Brasil, nossa denominação, indo a um retiro na referida cidade, o motorista do ônibus perdeu a direção e o carro acabou caindo num desfiladeiro, levando a óbito vários jovens. Explicar coisas neste sentido nem sempre é fácil, quando observamos os fatos a luz dos atos soberanos de Deus e de seu decreto, encontramos um ponto de contato para descansarmos nossa alma quando os envolvidos nas tragédias da vida são pessoas que amamos, porém ajustar nossa vida novamente é algo que não acontece de um dia para o outro. No entanto, o que não podemos nos esquecer, é que há uma fonte de paz e de descanso ainda que sejamos pegos por momentos de dúvidas, angústias e dor. Em Atos 13.52 o texto diz: “Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo”.

A história é a seguinte, Paulo e Barnabé foram pregar o evangelho em Antioquia, uma cidade repleta de judeus; chegando ali, a receptividade foi imediata, inclusive convites para que eles pregassem num outro sábado nas sinagogas judaicas eles receberam. Mas os mesmo judeus que os convidaram, vendo que a cidade foi impactada pela presença e mensagem daqueles homens, sentiram-se enciumados e começaram a difamá-los e persegui-los unicamente por causa da mensagem do evangelho de Cristo. Os versos 49 e 50 mostram que as pessoas da alta posição da cidade inflamadas pelos judeus, chegaram a expulsar os irmãos Paulo e Barnabé daquele lugar.

Paulo de perseguidor da igreja passa agora ser perseguido pelos inimigos da cruz de Cristo, o que significou algo muito importante para ele, devido ao fato de demonstrar o bom testemunho do Senhor a todos os homens que perceberam sua drástica mudança. Foi num momento de muita dificuldade e de perigo de vida que Lucas escreve esse texto, para nos mostrar que é possível encontramos e vivermos alegres, ainda que o medo, o pavor e a dor rondem nossa vida.

Não creio que tenha sido anulada no coração desses homens sua sensibilidade para dor ou mesmo seu sentimento de temor. Mas creio, de fato, que a esperança em Cristo era o grande motivador deles. Eles conseguiram em meio à hostilidade e a insegurança:

1) Continuar a ser discípulo. Ser discípulo de Cristo não é fácil, ser discípulo de Cristo significa anularmos nossos desejos e sentimentos quando esses tentarem anular a glória e a honra que somente Cristo deve receber de nós. Ser discípulo de Cristo tem a ver com a negação de nossos desejos quando esses desejam serem maiores do que Cristo. Ser discípulo de Cristo significa continuar em pé e confiante, ainda que tudo a nossa volta esteja contra nós, sabendo que Cristo esta conosco.

2) Viver alegre. A alegria deles foi plena, repleta do mais profundo sentimento de paz, uma paz transbordante que não se prendia diante das perseguições e preconceitos que eles vivenciavam. Uma paz que demonstrava que paz e alegria verdadeiras não são consequências de circunstâncias que as motivem. A plenitude da alegria deles deixa claro no texto que momentos ruins e adversos não são determinativos para que desesperemos a ponto de achar que Deus nos abandonou.

3) Ter o Espírito Santo como seu consolador. O texto também mostra claramente que o Espírito Santo, dominava a vida desses irmãos. Ser transbordado pelo Santo Espírito de Deus significa ser dominado, ser tomado, domado, dirigido pelo Espírito Santo do Senhor. O Espírito Santo que dava ao coração deles a esperança de que jamais deveriam esmorecer e abandonar o caminho do Senhor em meio às lutas, pois as lutas servem para amadurecer e fortalecer os homens de Deus em suas caminhadas.

Não é fácil olhar além das circunstancias, principalmente quando as mesmas nos dão tanto motivo de reclamar e causam em nossa alma tanta dor e sofrimento. Porém creio que Deus como o Senhor da história, único soberano entre os reis de todo o mundo, é Aquele único com quem podemos contar nessas situações. Não pense que seu casamento, seu pecado, sua dor, seus filhos desviados da Palavra de Deus, sua vida financeira complicada, até mesmo sua infidelidade a Deus, seja algo impossível de ser resolvido. Olhe além das circunstâncias e creia que o Senhor renovara sua alegria e fará transbordar em sua alma a paz. Sabe por quê? Porque Ele é o Deus da paz!

Rev. Nelson G. Abreu Júnior

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma Resposta