As boas lições do luto

Se olharmos cuidadosamente as reações, as atitudes e as obras de Cristo nos eventos narrados em João 11, aprenderemos lições preciosas sobre como vivenciar nossa tristeza com o pecado, a morte e as tragédias, sem perder de vista o consolo de Cristo e a manifestação triunfante da glória de Deus.

A narrativa nos ensina que Jesus se comove com a tristeza dos homens; Ele não esta insensível às dores e às angustias daqueles que o servem e que são seus amigos.

O texto descreve a beleza do amor, da amizade e da emoção de Cristo ao vivenciar os sofrimentos e agonia de seus amigos.

A história de forma bastante emocionante fala de amizade, de dor, de fé, de reverência e de temor. E apesar da importância que tiveram Lázaro e suas irmãs Marta e Maria neste dramático enredo, o protagonista deste evento não são os três, mas o Deus que se fez carne, o Emanuel, o Deus conosco. Por isso todas as nossas atenções precisam se voltar para Ele.

A história se passa em Betânia, uma pequena aldeia próxima de Jerusalém. Destacamos que em Jerusalém ficavam aqueles que desejavam matar a Cristo, por essa razão há tanta covardia e egoísmo na frase de Tomé “vamos também nós para morrermos com ele [Lázaro]” (v16), pois para chegar a Betânia teriam que passar por Jerusalém.

Analisando o texto destacarei algumas lições que estão nos primeiros sete versículos. Observe que ao perceber a enfermidade de Lázaro, suas irmãs tomaram a atitude de avisar a Jesus. E isso aconteceu não somente porque Jesus e Lázaro eram amigos, mas porque elas confiavam que Cristo poderia operar um milagre e resolver toda aquela situação caótica de agonia e dor. “Sim, Senhor, respondeu ela, eu tenho crido que tu és o Cristo, o Filho de Deus que devia vir ao mundo.” (v27). Note na continuidade do texto a fé que elas tinham em Jesus: “[…] se estiveras aqui, não teria morrido meu irmão. 22Mas também sei que, mesmo agora, tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá.” (v21,22).

Perceba ainda que o recado enviado a Jesus tem o seguinte conteúdo: “[…] está enfermo aquele a quem amas.” (v3). E logo em seguida João registra: “Ora, amava Jesus a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.” (v5). E complementa, “Quando, pois, soube que Lázaro estava doente, ainda se demorou dois dias no lugar onde estava.” (v6).

Algumas verdades são claramente compreendidas no texto, observe.

1. O fato de Deus nos amar não significa que estamos imunes aos sofrimentos. O Deus que nos ama, nem sempre nos livrará da dor, nem das dificuldades que é comum a todos os mortais. Na atualidade o evangelho que se tem pregado é que o crente não pode sofrer. Mas as Escrituras nos ensinam o contrário, mesmo amando a Lázaro, a Maria e a Marta, Cristo não os livrou dá dor causada pela enfermidade e pela morte.

2. O amor de Deus por nós não pode ser medido pelo nosso bem estar físico. Ao passarmos por momentos de dor, de tristeza, de perda, de enfermidade, de agonia na alma, jamais deveríamos pensar que não somos amados por Deus. Devemos sempre crer no amor de Deus, mesmo que vivamos dias maus.

3. O tempo do socorro de Deus nem sempre é o nosso tempo. A “aparente” demora de Deus em socorrer-nos quando passamos por situações difíceis não pode nos tirar o ânimo e nem a alegria de aguardarmos o livramento do Senhor. Às vezes parece que Ele está demorando em responder-nos, mas a verdade é que o tempo de Deus não é o nosso.

4. Até o nosso sofrimento tem como alvo a glória de Cristo. Todas as situações que nos envolvem, até mesmo as tragédias, tem propósito final de glorificar a Deus. A glória de Cristo é o alvo final de todos os acontecimentos que cercam o universo e a vida dos homens. Às vezes não temos respostas para algumas tragédias que nos abatem, mas uma coisa é certa: o alvo final delas é a gloria de Cristo.

5. Não podemos perder a esperança de uma intervenção divina, ainda que a situação pereça fora de controle ou sem solução. Lázaro já havia morrido e aparentemente nada poderia ser feito, mas Cristo é o Deus do impossível que se importa conosco. Por isso, que não podemos perder a esperança nunca.

Muitas outras lições poderiam ser tiradas desses versículos, mas eu espero que este texto sirva para devolver ao seu coração a fé, a esperança, a força e o ânimo em Cristo.

Deus te abençoe!

Rev. Eurípedes de Araújo Dantas

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma Resposta