Breves comentários sobre a transexualidade e a bíblia

Dias atrás participei de um programa na televisão, em que falamos sobre o assunto da transexualidade, que tinha como objetivo principal, a discussão da aprovação de cirurgias chamadas de “mudança de sexo”  pelo SUS. O que tenho reparado é que na grande maioria das vezes,  às pessoas que desejam fazer isso, realizar este tipo de cirurgia são, sem sombra de dúvidas, homens que querem transgenitalizar.

Homens que já desfiguraram seu corpo, colocando seios, deixando seus cabelos crescerem e ainda, buscando tornear suas pernas e afinar suas cinturas tentando ir além, caracterizarem-se mais e mais como mulheres. Meu propósito nesta pequena crônica é relatar alguns princípios bíblicos que confrontam este tipo de pensamento e posicionamento tão avassaladoramente dinâmico e crescente em nossa sociedade moderna e demonstrar no decorrer por quais motivos sou contra essa prática.

1) Sou contra, por crer, que Deus criou a sexualidade definida. Nesse sentido, meu desejo, é biblicamente demonstrar, que Deus fez o homem e a mulher, criou macho e fêmea, de acordo com o texto de Gn1.27; Gn5.1-2, esses versos apontam conclusivamente para uma perspectiva sexual definida e impar em relação ao homem e sua mulher.

Deus criou o homem e a mulher, não há uma possibilidade bíblica determinada por um conceito bíblico teológico que dê qualquer vazão ou insinuação a possibilidade de Deus ter criado o ser humano, com uma possível indefinição sexual. Deus criou homem e mulher e no conceito da criação, eles vieram à existência por intermédio da ação criadora de Deus.

Não viemos do macaco não viemos ao mundo para caminhar em busca da evolução, quando achamos que nosso parente mais próximo é o macaco, quando pensamos que somos descendentes dos símios, perdemos nossa identidade e confundimos não só nossa origem como também nossa sexualidade e cosmovisão.

Se viemos do macaco significa que não temos regras morais, nãos temos leis vigentes expressando a idéia de um Deus Santo, portanto, podemos fazer o que quisermos, pois se Deus não existe, não existe nada que me prenda a identificação com Ele, e se sou um animal, como alguns dizem, a troca de identidade sexual como resultado da bestialidade, seria válida.

Ps. Não creio que somos descendentes deles, mas imagem e semelhança de Deus.

2) Sou contra, por crer, que nossa essência nunca muda. Ser humano é ser humano em qualquer lugar do mundo, só mudamos nos filmes de X Man, da Liga da Justiça ou mesmo em Hollywood que animaliza o homem e dá hombridade aos animais.

Fora essas coisas, e de acordo com as escrituras, a bíblia nos ensina que Deus fez o homem e sua estrutura humana, sua essência humana jamais poderá mudar. Deus criou o homem e do homem a mulher conforme as Escrituras ensinam Gn2.21-24. Da costela de Adão Deus fez Eva, pressupondo aquilo que a mulher é, ela é parte do homem, sua ajudadora, alguém da mesma natureza que o homem, o que aponta para uma diferença entre Adão e Eva do restante da criação.

Portanto, a definição sexual, que estabelece categorias entre os homens, mostrando que há o macho e a fêmea, evidenciam a incapacidade de um tornar-se o outro e vice-versa. Não é possível a essência de alguém ser mudado. Mudar a essência significa fazer com que pessoas deixem de ser o que são.

O homem ainda que nos dias de hoje consiga uma intervenção cirúrgica de transgenitália, não pode mudar sua essência, quer ser algo diferente, mas não pode, não pode ter ovários, nem trompas, nem menstruar, nem ter seios de maneira natural e nem mesmo amamentar.

A essência de ser homem permanecerá para sempre, assim como uma onça não pode nascer sem pintas e nem o morcego deixa de ser mamífero, um homem nunca mudará sua essência. E ainda que isso pudesse acontecer, feriria as Escrituras e seria algo totalmente errado.

3) Sou contra, por crer, que isso é resultado do ódio por Deus. Quando analisamos as coisas, por intermédio do texto de Rm1.18-32, vemos Paulo claramente consciente de que nossos atos de rebeldia e descaso de Deus, são pressuposto na perda da Teo-Referencia.

Quando o pecado entrou no mundo, levantou um sentido de profunda rebeldia e sentimento de independência do homem em relação ao seu criador. O homem criado para ser amigo de Deus tornou-se inimigo e com um ódio tão agudo, que este mesmo homem, nem mesmo mais, se adéqua às leis de Deus, querendo antes, que elas nem mesmo existisse.

Seu ato de ira contra seu criador foi tão intensa e desaforada, que a supressão do conhecimento de Deus, fez-nos ser irracionais e imorais em relação a tudo aquilo que agrada ao nosso Criador Rm1.20. A falta de glorificação verdadeira e interativa com Deus, criou um bloqueio obscuro e embaçado na mente humana vs21.

E a degradação foi tão intensa e crescente que entregues por Deus ao seu próprio estado, os homens fazem coisas absurdas e grotescas contra o Criador vs26. A idolatria de seus corações, fez deles idólatras e imorais na concepção da verdade e abandonaram a santidade, para praticarem atos sujos de homossexualidade entre eles próprios vs26-27.

O espaço aqui é pequeno, creio que seria necessário refletirmos com maior intensidade sobre essas coisas, porém, essas considerações são algumas das quais reflito com você leitor, para mostrar as causa, ou melhor, algumas delas, que me fazem ser contra radicalmente qualquer aceitação de uma terceira via sexual, entre os homens.

Minha posição à alguns pode parecer radical e espantosa, medieval e anacrônica, no entanto, ela é bíblica e teológica, o que me faz descansar no fato de saber que meu objetivo e de todo o cristão, deveria ser, andar, agir e pensar de acordo com as Escrituras.

Soli Deo Gloria.

Tags: , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma Resposta