Em quem está nossa segurança e consolo

Há um texto, dentre vários, que muito me chama atenção nas Escrituras, pois de forma incontestável mostra a mais intensa de nossas fragilidades. Fragilidade a qual todos estamos sujeitos e que corresponde diretamente com a nossa incapacidade de dominar e determinar nosso futuro. O texto está em Tg 4.13-15 e diz: “Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. 14Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. 15Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo.”. Eu disse que ele demonstra nossa incapacidade de dominar sobre o futuro. Porém, ele começa mostrando que não podemos gerenciar nem mesmo o nosso presente. Tiago inicia dizendo: hoje e amanhã, dois momentos cronológicos absolutamente distintos, e distintos por marcarem dois momentos específicos relacionados às esferas temporais de presente e futuro, mas ao mesmo tempo absolutamente unidos pela categoria na qual ambos estão sujeitos, a categoria temporal.

Enfim, esse texto nos ensina ou nos relembra fatos importantes que muitas vezes esquecemos e nos esquecemos por geralmente supormos que nossa segurança é resultado de nossos esforços e competência na organização autônoma de nossa própria vida. Um analista social chamado Jeremy Rifkin disse o seguinte: ”As verdades científicas e tecnológicas que supomos que trazem um mundo artificial de segurança crescente e conforto estão agora dando origem a um nível intenso de ansiedade que está muito perto de chegar à histeria social em massa”.

O que ele está dizendo é que as preocupações do ser humano consigo mesmo fizeram do homem um ser independente por achar que a tecnologia e a ciência que aparentemente dominam é o local em que encontramos esperança e descanso para nossas angústias. Mas ao invés disso, vemos um ser humano mais tenso e a beira de uma angústia coletiva e da loucura. E é exatamente nesse contexto que Tiago nos mostra algumas coisas necessárias para vencermos situações negativas que geram dor, sofrimento e tristezas intensas em nossa alma. O que Tiago nos ensina aqui tem a ver com dependência e não com autonomia; tem a ver com temor a Deus e não com rebeldia. Esse texto nos mostra que nossa segurança não pode ser colocada em nossos títulos, em nossas capacidades mentais e físicas, que nossa confiança não pode ser colocada nas máquinas, e nem mesmo em nossa capacidade de prever o futuro ou querer manipular o presente, pois somos como a neblina, somos frágeis e passageiros e devemos aprender:

1) Que nossos projetos e sonhos, ainda que sejam previsíveis, nem sempre podem ser realizados. O v13 fala sobre projetos que construímos, ideais e sonhos que pensamos, mas em lugar algum desse verso vemos qualquer possibilidade absoluta de realização de nossos projetos e sonhos. Somos levados a pensar que temos capacidade para administrar nossa própria vida, pensando a partir do lucro e do conforto que o dinheiro traz. Todavia, nossa segurança nunca deveria se fundar no lucro, nos projetos econômicos e nem em nossa aparente capacidade de governar sobre nos mesmos.

2) Que não somos capazes de prever o dia de hoje e nem o dia de amanhã. O v14 deixa isso claro quando nos mostra que nossa visão é limitada e circunstancial; não sabemos nada sobre nós, não somos capazes de impedir que os fatos determinados por Deus ocorram em nossa vida. Somos como a neblina diz o texto, somos passageiros nessa terra e, como cristãos, deveríamos entender que nossa vida está segura e bem amarrada nas mãos de Deus, ainda que nem sempre as coisas de Deus sejam conforme a nossa vontade. Mas não somos independentes, e quando entendemos isso, entendemos que até o mal Deus transforma em bem para a edificação de nossa vida, sabemos quem somos, temos uma identidade, sabemos de onde viemos e sabemos que o Senhor é quem cuida de nos até em nossa dor e sofrimento.

3) Que o Senhor é nossa segurança e consolo. O v15 nos conforta quando mostra que nosso Deus é Soberano. Ele governa a história e comanda cada átomo e partícula que ocupa esse universo criado. Um Deus tão grande como esse precisa ser visto como a fonte inesgotável de toda a nossa segurança e consolo. Cristo tem que estar à frente de nossos objetivos e propósitos. Nossos desejos só serão realizados na medida em que tiverem a aprovação de Deus, Ele é o Senhor. Não queira viver independente dele para nada, dependa dele para te dar consolo, para te curar as feridas do sofrimento, para te dar sabedoria na condução de seus filhos, na direção de seu casamento, na administração de seu dinheiro e dependa do Senhor para ter uma vida de abnegação, amor e devoção a Cristo. Em Deus podemos confiar que nosso presente e futuro estão garantidos. Seja obediente e ame ao Senhor.

Rev. Nelson G. Abreu Júnior

Tags: , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma Resposta