O Catastrofismo e o controle eficaz e universal de Deus

O Catastrofismo e o controle eficaz e universal de Deus.

 

Catastrofismo é uma hipótese científica, utilizada tanto pelos criacionistas quanto pelos naturalistas. Em suma, ela diz que a Terra tem sido afetada por eventos violentos, repentinos e de curta duração, com implicações locais e globais.

Ex: A extinção dos dinossauros está associada a um tipo de teoria catastrófica que supostamente ensina a destruição desses animais cerca de 65 milhões de anos atrás, através do impacto de um asteróide que deu fim ao período Cretáceo. A extinção não foi só dos dinossauros de acordo com esta teoria, mas também, juntamente com eles, 70% de todas as espécies foram dizimadas.

O que foi o período Cretáceo? Este período está dentro daquilo que é chamado de Escala de tempo geológico, portanto, a pergunta que devemos fazer é: O que é uma escala de tempo geológico? A Escala de tempo geológico, representa a linha de tempo desde o presente até a formação da Terra, dividida em categorias de tempo chamados: Eons, Eras, períodos, épocas e idades.

O Cretáceo foi um período dentro desta escala de tempo que remonta cerca de 145 milhões de anos atrás, e pode ser dividido em Cretáceo inferior e superior. Na perspectiva desse pensamento, este momento, foi o momento em que o período Jurássico foi sucedido após a destruição desses animais pelo suposto asteróide.

Durante o Cretáceo os dinossauros alcançaram seu auge, mais da metade das espécies conhecidas viviam nesta época, porém, no final deste período eles já estavam quase totalmente dizimados.

As catástrofes naturais são decorrentes de várias fontes distintas de acordo com a ciência. O que são as fontes naturais? A ciência entende fontes naturais como aquelas fontes não resultantes da intervenção do homem.

Ex: Um exemplo da intervenção humana seria o aquecimento global do planeta. Os desmoronamentos de encostas devido o desmatamento, a necessidade da piracema por causa da pesca predatória e assim por diante.

Existe uma categorização para a origem das catástrofes naturais? Sim existe e elas são originadas através: impactos, atividades vulcânicas, atividades sísmicas e atividades atmosféricas. E eu quero abordar um pouco dessas coisas e do eco que isso causa na vida das pessoas de maneira específica e geral bem sumariamente porque isso daria horas de estudos e questionamentos.

 

Atividades Vulcânicas: Os vulcões são muito comuns no planeta Terra. Existem cerca de 2000 vulcões no mundo. Alguns deles encontram-se nos continentes, outros nos oceanos e ainda outros nas geleiras. Alguns estão ativos, outros adormecidos e outros extintos.

Geralmente a influencia dos vulcões atrapalha a geologia local, mas em alguns casos cientistas dizem que atrapalha também a geologia global. Há algumas montanhas que são vulcões extintos e sua formação, a formação da montanha se deve, a lava que vazou do vulcão.

É sem dúvida que os vulcões tem mudado a aparência do planeta Terra, mas isso é uma escala pequena em se tratando de geologia. Os vulcões além de influenciarem nas paisagens, ele também influencia na própria atmosfera, alterando as proporções entre os elementos químicos ali existentes produzindo aquilo que é chamado de chuva ácida.

Chuva Ácida: Estudos recentes do vulcão Ulawun, na Papua-Nova Guiné, revelaram que em suas erupções recentes ele chegou a produzir 7Kg de SO2 (dióxido de enxofre) por segundo, o que corresponde a cerca de 2% da emissão global total desse gás. O SO2 na atmosfera é o responsável pela chuva ácida.

E dentre as coisas que a chuva ácida faz, ela causa a diminuição no pH da água dos lagos e rios, tornando-os mais ácido e colaborando para a redução da biodiversidade aquática. Existem casos em que a diminuição do pH, potencial hidrogeniônico, eliminou algumas espécies de insetos e peixes de córrego e rios.

O solo com certeza também é afetado pela chuva ácida através da morte de micróbios e mesmo os nutrientes dos solos como os minerais que passam por uma profunda degradação e diminuição. A chuva ácida, desacelera o crescimento das plantas, queima as suas folhas e em casos extremos faz com que todas as árvores de uma determinada região morram.

Estamos falando de uma atividade vulcânica que pode ser considerada de menor impacto sobre a natureza, se fossemos falar do impacto das megaerupções, o que podemos fazer quem sabe num outro período a título de esclarecimento e ampliação de conhecimento, ficaríamos ainda mais assombrados com o poder destrutivo e devastador dos vulcões.

 

Atividades Sísmicas: Maremotos e terremotos são atividades sísmicas muito conhecidas. Elas ocorrem naturalmente com grande freqüência no planeta devido às falhas e à movimentação das placas tectônicas. Em apenas 35 anos de monitoramento (1963-1998), 358.214 epicentros de atividade sísmica foram registrados.

Os terremotos, em geral, têm conseqüências locais. De acordo com as teorias atuais, os terremotos associados às placas tectônicas, tem a sua origem a uma profundidade de 10Km. Temos visto a ênfase dada à tragédia envolvendo o Haiti algo terrível e assustador que matou milhares de pessoas e dizimou um país inteiro, fazendo vítimas e afetando todo o sistema político, econômico e financeiro daquele pobre lugar.

No entanto, quero mostrar que as atividades sísmicas, já de muito tempo, dão prejuízo e perpetuam a miséria e a dor no mundo. O terremoto Shaanxi, ocorrido no dia 23 de Janeiro de 1556, foi considerado o maior desastre natural do gênero. Cerca de 830.000 pessoas morreram neste evento..

O segundo maior terremoto e o mais intenso já registrado por um sismógrafo (9.1 e 9.3) foi o do dia 26 de dezembro de 2004. Seu epicentro  foi próximo da costa oeste da ilha de Sumatra, Indonésia. Esse terremoto desencadeou uma tsunami que atingiu o litoral de vários países do oceano Índico. Muitas áreas foram completamente devastadas e morreram nessa tragédia cerca de 283.000 pessoas. Características geológicas.

Os terremotos afetam o ecosistema local, alterando características geológicas. O impacto da destruição, embora rápido e massivo, nem sempre apresenta resquícios duradouros. Dois efeitos muito importantes resultantes de terremotos são: tremores e as rachaduras ou rupturas do solo.

As rachaduras por sua vez deixam uma evidencia da magnitude do que aconteceu. Mais uma vez isso ocorre por questões relacionadas a catástrofes naturais. No entanto, o que não devemos, é entender que essas coisas, estão aleatoriamente ocorrendo, como se nada e nem ninguém estivesse por detrás.

Antes porém de falar sobre esse assunto mais diretamente, ainda quero mencionar as atividades atmosféricas.

Atividades Atmosféricas: As atividades atmosféricas geralmente produzem resultados locais específicos dentro de uma determinada região. Além de produzirem furacões, ciclones e tufões e tornados, também produzem inundações, secas, onda de calor, tempestade de neve e muitos outros desastres naturais.

O ano de 2005 foi marcado por várias catástrofes relacionadas com atividades atmosféricas. A que deixou a maior marca foi o furacão Katrina que destruiu completamente a cidade de New Orleans, nos EUA.

Em nosso próprio país, observamos de alguns anos para cá, furacões que começam no oceano e depois entram sem nem mesmo tocar a campainha em nossas cidades, fato que desconcertou o estado de Santa Catarina em 2008.

Muitos outros exemplos poderíamos citar aqui, no entanto, meu desejo é mostrar quem é que está por detrás de todas as coisas que acontecem no mundo. Meu objetivo não é culpar a Deus, mas demonstrar que em todos os casos que citei e citando ainda o Haiti, jamais eu poderia buscar uma justificativa que colocasse o Senhor Rei dos Reis, como mero espectador das coisas que ocorrem no mundo, portanto, o que temos que entender? O que temos de saber, biblicamente falando, para sermos consolados e confortados no momento da dor e da tristeza.

Como nós cristãos devemos encarar as catástrofes? Há esperança em meio ao caos? As coisas perderam o controle no universo ou elas estão sendo devidamente conduzidas de acordo com um propósito?

 

O Controle de Deus

E viu Deus que tudo era muito bom.

 

É necessário entender a beleza da criação de Deus, para entender o estado como o mundo e as coisas caminham nos dias de hoje. O texto Bíblico em Gn1.31, encerra a narrativa da criação, expressando de maneira bela e singular, a satisfação de Deus com a execução de toda engenharia produzida por suas próprias mãos.

Deus criou todas as coisas em seis dias que foram os seis dias da criação e depois de tê-los criado, descansou. As Escrituras mostram, não só o amor de Deus por toda a sua criação, como também, sua bondade e generosidade em ter dado ao homem, a oportunidade de desfrutar de um lugar tão belo quanto esse.

O homem, porém, após a sua participação plena como co-gerente de Deus na história da organização do mundo anterior a queda, colocando nome e cuidando de todo ecosistema de Deus Gn2.15;19-20. Após um período extraordinário de gloria e produtividade santa e agradável a Deus, este mesmo homem pecou, desonrando ao seu Criado e Rei.

No texto do cap3, vemos o homem e sua mulher transgredindo a lei de Deus, fazendo aquilo que trouxe grandes problemas para toda a terra vs6. O pecado original, resultado da desobediência humana, atraiu o juízo de Deus sobre toda a sua criação.

Após o homem agir da maneira leviana e incrédula como agiu diante de Deus, desacreditando de sua palavra e querendo ser como Deus era vs4-5. Deus mandou sobre ele e toda a sua posteridade um grau de maldição, como resultado das conseqüências de seus próprios pecados vs16,17,18.

A terra como nós a conhecemos hoje já passou por muitas mudanças e ainda passará, a terra está envelhecendo, perdendo muitas de suas propriedades e de seu estado originalmente criado, e tudo isto por conta da maldição de Deus, que veio sobre a terra como conseqüência direta do pecado humano. Rm8.20-22. A situação de desarmonia existente hoje no mundo, está diretamente relacionada com o pecado e a desobediência e transgressão do homem.

Nada no universo é simples acidente.

 

Após esse sistema de horror que se abateu sobre a terra, os homens cada vez mais distantes de Deus, não entendem e nem interpretam o universo de maneira correta e satisfatória. Alguns acham inclusive que as coisas se desenvolvem numa perspectiva puramente naturalista, onde não há espaço para Deus em nenhum sentido. Mas tudo foi feito por ele, inclusive as coisas que regulam a natureza Gn1.14-16.

No entanto, as criaturas podem opor-se a Deus e isso constantemente está acontecendo no descortinar da história, mas ninguém pode prevalecer contra Deus. Jr32.27; Gn18.14. Ainda que pareça mal aos nossos olhos que a vontade de Deus sempre permanecerá em pé, o Deus das Escrituras, é Autônomo e Autosuficiente para realizar tudo de acordo com sua soberana vontade, mostrando que tudo está sob controle. Is14.24-27. Jo42.2,Jr23.20.

Sempre que Deus mostra sua vontade ao mundo por meio de seus profetas, suas profecias cumprirão a ordem de Seu comando Dt18.21-22; Is31.2; Is55.11, Zc1.6.  Portanto, nada que alguém deseje consegue anular e destruir o querer de Deus sobre o universo de forma geral e sobre sua criação de maneira específica Pv21.30, 16.9, 19.21.

O propósito de Deus sempre prevalecerá no mundo, não há um mundo de acasos e destinos, em que não haja alguém por detrás deles dirigindo as coisas conforme seu querer e para seu mais absoluto estado de prazer IS46.10, Is45.9. Somos barro e Deus é o oleiro e constantemente vemos a direção de Deus na execução de seus atos e feitos sobre o mundo.

Deus não levanta todos os dias pela manhã, pensando no que Ele fará, o Deus da bíblia, tem todas as coisas determinadas e prontas antes de elas mesma virem a existência de tal maneira que nada escapa ao Seu controle e nada acontece aleatoriamente no mundo de Deus. Sl33.11; 115.3; 135.6; Is43.13. Ap3.7.

 

O mundo natural de forma específica se sujeita ao controle de Deus.

 

Neste tópico quero tratar um pouco sobre a universalidade do controle que Deus exerce sobre o mundo de maneira plena e o governo que Deus exerce sobre os eventos do mundo natural.

Voltando um pouco em nosso primeiro tópico, só para ficar mais claro, o mundo natural, como disse é Criação de Deus, e Deus o criou perfeito e belíssimo. Gn1.1-31, Ex20.11, Sl33.6,9; 95.3-5, 145.5-6; Jr10.12; 51.15-16; At17.24 Cl1.16. E Deus criou o mundo de acordo com sua sábia e santa sabedoria e para seu inteiro agrado. Ele conhece o mundo por dentro, por fora, e conhece todas as leis e princípios que operam nele. SL135.6-7; Sl147.15-18; At14.17, Sl104.10-30, Gn8.22.

Não devemos pensar no mundo como sendo governado pela interferência dos deuses gregos e nem mesmo os deuses de Camões em Os lusíadas, e nem por eventualidades e acasos, o Deus da bíblia não compartilha com ninguém o exercício de sua criação de cada detalhe do universo e isso o torna o Senhor que determina como as coisas acontecem sobre um mundo que se rebelou contra Ele. Toda a decisão que acontece no universo de Deus, tem como fundamento último a sua própria decisão Pv16.33.

Não há nas escrituras a noção de que quem governa as coisas são as leis naturais, ao contrário, ainda que Deus tenha criado as leis naturais como causas secundárias no exercício de Seu Santo governo no mundo, essas leis estão todas sob sua determinação e Ele age independente delas, porém, elas nunca poderão agir independentes de Deus.  Am4.7; Gn41.32.

 

A história humana também está sob o controle de Deus.

 

Muitos de nós pensamos que é possível que Deus esteja dominando sobre o mundo que Ele criou, afinal, o mundo é um ambiente desprovido de qualquer perspectiva reflexiva, as coisas inanimadas não pensam, não falam, não tem condições de se expressar, creio que isso não seja verdade, pois a voz da criação geme diante de Deus e Deus tem ouvido seu clamor.

Mas, seguindo esta forma de pensamento, alguns acham que sua história como servo de Deus é diferente, pois falam, pensam, e desta maneira, podem viver um certo tipo de autonomia divina. Mas se esquecem que nada inclusive saber quantos cabelos temos na cabeça pode ser realizado por nós. Mt10.31.

Deus no decorrer da história juntou todos os nossos ancestrais e guardando toda a nossa história, e todos os eventos que a antecederiam, para que num determinado tempo, chegássemos aqui e vivêssemos aqui e atuássemos como homens e mulheres de Deus neste mundo. Os cristãos sabem porque estão aqui e sabem o que fazem aqui.

Deus controla todos os eventos naturais, mas também controla todo o curso de nossa vida desde nossos ancestrais, para que seu objetivo de nos salvar, existente desde a fundação do mundo acontecesse conosco Ef1.4  Nossa história, não é como a física quântica e nem como a filosofia relativista e nem mesmo como uma religião que nos deixa a escolha de nossas próprias ambições e bobagens.

Deus é Rei sobre todas as coisas e sobre todos os povos e nações, ninguém está distante de Deus a ponto de não ser notado por Ele. E seus planos sempre se cumprirão na vida das pessoas Sl33.10-11.  Uma história que ilustra isso bem é a de José, que foi traído por seus irmãos, mas que nada do que estava acontecendo com Ele, era produto de um destino aleatório. Gn41.16; 28,32; Gn45.5-8. A história humana está sob o controle de Deus. Quando seu povo passa por momentos difíceis, devem descansar em Deus, pois ainda que sejam trágicas algumas vezes, Deus está ao nosso lado. Miquéias 4.12, Pv21.31.

Ciro o Persa cumpriu a vontade de Deus Is44.28, 45.1-13. Através do édito pagão do rei, Israel retornou a sua terra Esdras 1.2-4. Um evento histórico incrível e que demonstra a condução de Deus na história e vida do povo, foi a própria crucificação de Cristo. Deus anunciou o tempo da vinda do Messias antes mesmo de Ele vir. Dn9.25-27.

No evangelho de João o tema do anuncio da vinda de Cristo é sublime e profundo Jo2.4; 7.6,30, 44; 8.20; 12.23,27; 13.1; 4.34; 5.30; 6.38 etc. Enfim a história humana de forma geral está debruçada belamente sob os pés do Senhor e Deus a direciona de maneira inconfundível. Deus planejou fazer todas as coisas minuciosamente, inclusive a aparente tragédia sofrível e horrenda da morte de nosso salvador. At 3.18.

 

Deus controla nossa vida individualmente.

 

Deus não só controla o curso os eventos e a vida do homem e sua redenção e salvação por intermédio de Cristo de maneira geral, mas Deus faz de forma específica com que os detalhes sigam seu comando para que tudo aconteça exatamente da maneira com que Ele planejou.

Se Deus não controla nossas vidas e as coisas que acontecem no mundo, quem garante que a história caminha pelo rumo certo? Quem pode garantir qualquer coisa?

A bíblia no entanto faz afirmações categóricas e incontestáveis de que Deus está com as rédeas da história nas mãos como já vimos. Porém a vida de cada um de nós, está muito bem sustentada e amparada por Deus da mesma maneira. Jr1.5. Ef1.4.

As coisas não acontecem em nossa vida por questões acidentais e aleatórias, ao contrário disso, ocorrem devidamente através da intencionalidade de Deus o que acontece com a concepção de cada um de nós. Sl 139.13-16.

Dessa maneira a nossa própria existência é um dom de Deus, Ele nos formou individualmente e assim através de um código genético que durante gerações vem trazendo nossas características e aptidões, gostos, desejos, doenças e tudo mais, Deus vem conduzindo a história dentro de sua individualidade específica, para que cada um de nós, estivéssemos presente neste mundo e nesta época.

Todos os eventos da vida estão nas mãos de Deus, e isso é significativo para valorizarmos não só a nossa vida, mas para sabermos que não há nada acontecendo sem ser milimetricamente planejado e executado pelo Senhor Ex21.12-13 1Sm2.6-7; Sl37.23-24; Tg4.13-16. Portanto, de forma geral e específica, nada escapa ao comando de Deus e por isso, devemos confiar nosso coração e nossa vida a Ele, sem sombra de dúvidas.

Deus julga os povos por conta de seus pecados e manifesta sua ira sobre o mundo que está sob seu controle. Durante o tempo e a história, temos visto várias demonstrações do juízo de Deus, sendo que o mundo pecador e responsável pela queda o faz merecedor deles.

Alguns eventos catastróficos na bíblia, cumprindo a vontade Santa de Deus.

 

Temos visto que Deus dirige e controla as coisas da nossa vida de maneira planejada e bem controlada e disto nós não devemos duvidar, pois vimos vários textos e situações bíblicas que apontam para isso, ajudando-nos a perceber o quanto Deus tem cuidado de cada detalhe do maior ao menor.

Mas o que precisamos também perceber é que cada um desses acontecimentos relacionados a providencia de Deus, o milagre de sua criação, a existência dos seres humanos de acordo com Sua vontade, são resultado de seus santos pensamentos.

Deus age como Senhor e Criador sobre tudo o que está presente no mundo, porém, seria muito complicado pensarmos que Deus não tenha planejado cada caminho que nos conduziria desde nossa introdução até o final da história. O Salmista diz: Sl33.11, a nossa CFW:

 

“Deus desde toda a eternidade, fez, pelo seu mais sábio e Sant conselho, de Sua própria livre vontade  que nem é Deus autor do pecado e nem Ele violenta a vontade das criaturas”….

 

O texto de IS46.10 nos dirige na mesma direção e tudo isso creio, mostra a eficácia e o propósito de universal de seu conhecimento desde o começo até o fim de tudo. O plano de Deus é eterno, seu santo decreto não pode ser dimensionado no tempo e no espaço. Is37.26; Mt25.34; 1Co2.7; Ef3.11; 2 Tm1.9.  Há muitos outros textos bíblicos que se memorizados por nós, nos ajudarão em muito. Os planos de Deus são imutáveis Is14.24 Tg1.17 etc.

Por isso não podemos dizer que de tudo que acontece no mundo incluindo as tragédias, Deus está alienado, com as mãos amarradas, não podendo fazer nada.

Do eterno decreto de Deus.

Precisamos chamar a nosso favor, a CFW, que é uma declaração de fé da nossa igreja e da maioria das igrejas reformadas espalhadas pelo mundo, para que esta confissão, nos ajude quanto a este difícil assunto.

Decreto de Deus é um assunto difícil de se falar sempre, porém, creio que seja assim, pela inconsistência humana de não confiar completamente em Deus como causa primária e última de tudo que existe.

Quando falamos de decreto de Deus, queremos dizer o seguinte, de acordo com a CFW: “Desde toda a eternidade, Deus pelo muito sábio e santo conselho da sua própria vontade, ordenou livre e inalteradamente tudo quanto acontece, porém de tal modo que nem Deus é autor do pecado, nem violentada é a vontade da criatura…”

Alguns textos nos ajudam a perceber isso nas sagradas escrituras, como demonstrações reais do domínio que Deus executa sobre todas as coisas que ocorrem no mundo. At2.23;At4.27-28;Is37.26; Tg1.17,  Is14.24. Portanto, todas as coisas que acontecem no mundo, são decorrentes da vontade soberana de Deus.

O dilúvio foi decreto de Deus Gn6.13… 2Pe3.5…

E percebam o seguinte, o decreto do dilúvio foi em decorrência do pecado da raça humana que havia declinado moralmente agindo com rebeldia e desprezo contra Deus e seu próximo.

O dilúvio é um aviso antecipado do juízo final que ocorrerá sobre os homens, no último dia, demonstrando que só aqueles que fazem parte da igreja verdadeira, é que escaparão da ira do Cordeiro, por terem sido resgatados por Ele. Ef1.4. Na arca que aponta na antiga aliança para a igreja de Cristo, em que os sacramentos são ministrados para proteção do povo que em Deus se refugia, naquela época um filho de Noé, foi a personificação maligna por ter recebido a maldição sobre si.

Antes do dilúvio a transgressão cresceu absurdamente, e não podemos olhar o dilúvio como um ponto isolado de um juízo por nada. Gn4, Caim matou Abel, a vida humana tornou-se tão banal e desprestigiada, numa época histórica sem legisladores e governos, que os homens matavam uns aos outros por causa de um pisão no pé Gn4.23.

A violência crescia assombrosamente, o povo de Deus por conta do pecado presente em sua inclinação, os tornava mais e mais ofensivos ao criador, a ponto de serem declaradamente desobedientes Gn6.1-5. Observem que os homens sempre merecem a manifestação do juízo de Deus sobre si, pois são rebeldes e afrontosos contra seu Criador. Mas Deus por sua graça preserva Noé 6.9.

Noé foi um homem que pregou poderosamente em sua geração, sem ver os frutos do arrependimento deles, pois Deus lhes manifestou juízo enquanto que a Noé e sua família manifestou graça. 2Pe2.5 Toda aquela geração inclusive Noé, mereceria a punição de Deus, mas Deus lhe foi gracioso, o que mostra que o mesmo caminho Deus segue conosco, o caminho da graça. 2Pe3.6

O juízo sobre Sodoma e Gomorra foi decreto de Deus Gn19.13 2Pe2.6-7.

Foi decreto de Deus sob as mesmas circunstancias, é provável que a opinião pública e muitos jornais e revistas daquela época teriam muito a questionar e mesmo dar desculpas aos seus contemporâneos, mas desde o primeiro momento em que Sodoma aparece nas Escrituras, este nome vem associado a uma enormidade de tragédias moraisGn13.13.

O ser grandes pecadores diante de Deus, está relacionado a imoralidade explícita deles com o envolvimento com o sexo com pessoas do mesmo sexo. A palavra sodomia, sodomismo, pederastia, tem uma conotação em comum, e que se refere a sexo praticado entre homens, homosexualismo.

Deus mostrou graça a Sodoma, quando Abraão foi usado por Deus para resgatar aquela cidade das mãos dos inimigos, porém não se arrependeram Gn14, e Deus mais pra frente, disse ao próprio patriarca, que destruiria aquela cidade por causa de suas práticas perversas Gn18.20.

Ali, os homens gostavam de homens, contrariando assim, toda a perspectiva de Deus com relação ao casamento e o acasalamento entre um homem e uma mulher. Quando mais pra frente Deus institui Israel como nação e determinou leis, dentre elas houve a pena de morte para quem praticasse este ato, como amostra do desagrado e do ódio de Deus contra os perversos homens que vivem assim sem arrependimento Lv20.13.

Percebam a gravidade disto e do desprazer que atos desta natureza causam em Deus, os homens de Sodoma chegaram inclusive a rejeitar as filhas de Ló pelo desejo sexual irrefreável de manterem sexo com outros homens Gn19.5-8. A imoralidade foi tanta, que isso era algo declarado e aberto, já desde aquela época, chegaram a uma degradação moral tão elevada, que nem mesmo mantinham a descrição.

Sodoma e Gomorra foram a lona, por conta de seus pecados perversos de inversão e perversão da imagem e semelhança de Deus. Ainda que Ló tenha feito muitas coisas erradas, foi um homem que lutou em sua geração para levar a palavra de Deus a eles, e também não viu frutos 2Pe2.7-9. Homens injustos sofrem o juízo de Deus por merecerem, ele e sua geração.

Não há justo nem sequer um Rm3.9-10.

O cativeiro babilônico foi decreto de Deus.

E Deus por meio do cativeiro babilônico no transcorrer da história, demonstrou ao povo o seu desagrado pelos pecados deles. 2Cr36.15-23. Aqui está o resumo da história do cativeiro que o povo sofreu, como conseqüência de seu pecado e de sua desobediência.

De Deus não podemos zombar, observe o quanto essas pessoas sofreram e toda a tragédia sobre a vida deles, foi em conseqüência da desobediência e dureza de seus corações contra a lei de Deus.

Darei alguns saltos e irei para o Livro de Ezequiel que tenho lido nesses dias e fiquei mais uma vez perturbado com a dureza do povo de Deus e impactado em ver Deus trazendo juízo santo de suas mãos contra aqueles que lhe desonram, ninguém é inocente Ez8.16-18, a indignação de Deus em veros seus sacerdotes adorando ídolos. Ez7.27.

Agora um relato triste que sempre nos comove quando envolve idosos e crianças, mas que mostram também que Deus julga todos os que vivem distantes de sua palavra Ez39.3-8. Veja o 6. E agora observem o conceito que eles tinham sobre Deus e seu ser vs9-11.

Portanto Deus decretou o cativeiro babilônico e neste sentido os povos do Norte vieram para oprimir o Israel de Deus, a nação Santa, por conta de seu pecados inúmeros, para nos ensinar que somos merecedores das catástrofes por conta de nosso próprios pecados e das traições que realizamos contra Deus.

Talvez o conceito que temos aprendido de Deus de anos pra cá, tem desarticulado nossa santidade nos feito mais confiantes em nós mesmo do que em Deus. Observamos o pecado em nossa pátria, em nossa casa, em nossa família e em vários seguimentos da nossa vida, e nem mesmo isso nos perturba mais. E quando catástrofes acontecem, tentamos justificar Deus, diminuindo Seu Senhorio e Soberania sobre todas as coisas que acontecem.

Sei que pra muitos isso soa muito ruim, mas me descansa crer no Deus da bíblia, do que numa caricatura de Deus, que nos deixa comandar a história e fazer com ela o que quisermos. O dia do grande juízo virá, enquanto não vem, os juízos parciais de Deus surgem com a finalidade de nos alertar e advertir, sobre como devemos viver. Sl33.5; 50.6; 103.6, 119.142, 2co5.21 etc

A segunda vinda que trará juízo sobre os homens é decreto de Deus.

Como igualmente foi decreto de Deus as terríveis catástrofes contemporâneas que nós temos vivido de alguns dias pra cá. Van Til disse uma frase belíssima e muito importante: Nosso mundo é um mundo muito significativo, porque ele é a expressão da sabedoria de Deus.

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma Resposta