O destino dos homens ímpios

Temos falado no decorrer dos meses, a respeito de pecado, de santidade, de libertação de Cristo do pecado e assim por diante. No entanto, gostaria de continuar dentro desse mesmo assunto, mas abordando um lado que está diretamente relacionado a esse, mas ao mesmo tempo, é algo novo e importante a ser questionado por nós, para nos admoestar ainda mais sobre como deve ser nossa vida no caminho da santidade e da realização daquilo que agrada a Deus.

Pouca coisa tem escrita sobre o destino dos ímpios, dos homens maus e creio que isso, é devido ao fato de ser algo difícil de ser tratado e até mesmo, algo difícil de ser entendido por muitas pessoas inclusive cristãos, e ainda por acharmos que esse tema, é indigesto, e confrontador, dando um aspecto de desconforto para quem ouve sobre ele.

Mas minha responsabilidade como pregador das escrituras é conduzir vocês a certeza daquilo que a bíblia ensina, para que jamais, sejamos enganados por absolutamente nada que não seja baseado nas Sagradas Escrituras. Por isso, por mais que seja um tema difícil de aceitar e de se falar, por causa mesmo do contexto em que vivemos, que faz as pessoas questionarem inclusive a punição de um Deus que sendo bom, não deveria punir ninguém.

Nos surpreendemos, quando olhamos para a palavra de Deus e percebemos o que o Senhor Jesus têm para nos ensinar por intermédio dessa poderosa e bendita palavra bíblica. Para falar do destino dos ímpios precisamos:

 

1) De ter certeza de que haverá um julgamento. Hb9.27. Há uma corrente cristã chamada de aniquilacionistas, que ensinam  que o julgamento do pecador é a própria morte, mas o texto que citamos, deixa claro que morte e julgamento, são coisas completamente diferentes.

Existem várias passagens nas Escrituras, que estabelecem o julgamento futuro sobre os pecadores. Eclesiastes 11.9, 12.14. Em o NT vemos o testemunho dessa mesma verdade em textos como At17.31, e ainda temos a descrição do julgamento em Ap20.11-15.

Há outros textos no NT, que não deixam dúvidas a respeito desse terrível dia de julgamento de Deus sobre os ímpios que não o amaram e nem mesmo o serviram com alegria e prazer 2Pe 2.9, Mt23.33, nada poderá impedir Deus de tomar vingança no dia do juízo, do julgamento final, de quem quer que seja.

 

2) A morte sela o destino dos pecadores. A bíblia ensina que a oportunidade de salvação aos pecadores está limitada a ao período de sua vida nesta terra e nada mais, não existem condições nenhuma, e isso, porque Deus não quis, de salvação após a morte.

Aqueles que morrem sem a salvação estão selados para a destruição e destino eternos de perdição e ira de Deus. Não existe uma só menção nem no VT e nem muito menos no NT de alguma passagem que mostre o pecador sendo salvo depois da morte. Mas existem várias passagens que mostram que o indivíduo para ser salvo, ele precisa submeter-se a Cristo ainda nesta vida. Mt9.6, o poder de perdoar pecados está relacionado a condição do homem  nesse mundo. Por isso é que a palavra sobre a terra aparece.

Ela mostra que após a morte nem mesmo Cristo poderá interferir no mundo dos mortos para restaurar o perdão e a comunhão deles com Deus. Em Jo12.25, vemos também o texto mostrar que devemos odiar a vida neste mundo. Uma vez que deixamos esse mundo, nada mais poderemos fazer com a finalidade de restaurar vida e comunhão com Deus.

 

3) O que espera o pecador depois da morte. As Escrituras ensinam que após a morte o que aguarda a alma dos pecadores e depois seus corpos, é a chama e o tormento eterno do inferno, local em que Deus derramará de sua ira com maior abundancia e intensidade sobre os homens que para lá irão.

Em At 2.27, a palavra que aparece ali é Hades sendo que no Sl16.10, a palavra é Sheol, ambas são termos genéricos que referem-se a mundo invisível.

Os homens quando morrem vão para o hades, que é uma palavra grega que se traduzida significa inferno, porém essa palavra está relacionada com o local para onde os mortos vão. Tanto Hades no grego, quanto Sheol no hebraico diferem-se de sepultura, pois sepultura dá idéia de um local em que os corpos dos mortos ficam, são colocados Gn50.5 e Mt23:29 ou para onde eles entram, enquanto Hades e Sheol nunca é dito entrar os mortos.

Hades e Sheol, recebe a alma dos justos e dos ímpios, no entanto, isso só é possível, por que essas palavras relacionam-se a um local com dois compartimentos, sendo que a diferença entre eles está no fato de reservarem local para santos e ímpios. Essas palavras significam mundo invisível para onde os mortos vão aguardarem o julgamento final. Hades e Sheol referem-se ao mesmo lugar.

Ou seja, a idéia é de que hades e Sheol que são palavras sinônimas, não obstante ser duas palavras com significados iguais, mostram haver compartimentos diferentes Sl16.10, At2.27, Lc16.26 e Dt32.22, textos que evidenciam, o fogo como uma demonstração de juízo de Deus sobre aqueles que foram para lá.

Em Lc16.26, as palavras são iguais. Uma coisa é fato, que depois da morte, há um local certo para a ida de todos nós, os ímpios irão para a fornalha de fogo eterno, conforme é dito no texto de Mt13.30, 40-42 ver ainda Lc16.24, lugar de tormento.

 

4) Anuncio de desespero ao perdido. Vemos primeiramente que em Jo5.29, o texto mostra que todos os homens ressuscitarão diante de Deus, uns para a vida e outro para a morte. A morte aqui referida é a segunda morte, o que deixa claro que essa ressurreição levará o homem a condenação e punição eterna. Dn12.2

Quem está anunciando isso, de forma solene e profunda é o próprio filho de Deus, Jesus Cristo. Uns ressuscitarão para a vida e outros para o juízo. Para os ímpios não há uma ressurreição de provação, e nem mesmo uma ressurreição de salvação, para eles o que há é uma ressurreição de condenação.

Em 1Ts4:13, vemos Paulo fazendo um contraste entre os cristãos que passam por aflição e morrem e os gentios que choram sem esperança pela morte de seus queridos perdido sem esperança. O cristão pode afligir-se pela morte de um amigo crente que morre, mas ao mesmo tempo pode sentir o conforto da Escritura que mostra que no futuro seremos reunidos na segunda volta de Cristo.

O não cristão chora a morte de seus amigos e ainda não tem a esperança de que eles serão reunidos no futuro, eles são perdidos e não conseguem ver a esperança da vida e da eternidade com Cristo, para eles isso é besteira, o texto de Ef2.12-13 que eles vivem sem esperança, o anuncio é de desespero ao não cristão. A expectativa do ímpio é de juízo de Deus Pv10.28.

Em Hb 10.26-29, as Escrituras mostram o estado de desespero daqueles que tem rejeitado a mensagem de Cristo e assim vemos várias menções nas Escrituras que falam do julgamento e juízo de Deus sobre a vida daqueles que rejeitam e descrêem da verdade da palavra de Deus e de seu filho Jesus Cristo Tg2.13.

Com esses e outros versos vemos a total demonstração de Deus evidentemente  expressando o juízo e a destruição solenemente anunciada aos homens ímpios que vivem e que viveram negando a Cristo por intermédio de suas atitudes as escrituras não são ambíguas e nem dissimuladas ao falarem sobre esse tema, elas concluem de fato o desespero que aguarda os homens maus.

 

5) A  permanecia última dos perdidos. Analisemos agora dois nomes diferentes no NT, que se referem a lugar de condenação, sendo eles, Gehenna e o outro Lago de Fogo. Vejamos o que as escrituras ensinam a respeito disso.

A) Gehenna: essa palavra é a forma grega da palavra hebraica para vale de Hinnom, que era um lugar profundo, uma cavidade ao oriente de Jerusalém. Esse vale de Hinnom foi primeiramente usado em conexão com os ritos de idolatria, ou seja, relacionado ao lugar em que eles esses ritos foram executados 2Cr28.3.

Depois, vale de Hinnom tornou-se um cemitério Jr7.31 ou mais provavelmente um crematório. Depois ainda tornou-se um lugar aonde o lixo de Jerusalém era jogado e queimado ( Josefos). Esse fogo foi sustentado constantemente aceso para consumir a sujeira da cidade depositada naquele lugar.

B) O vale de Hinnom, visto anteriormente como o grande receptáculo de sujeira adequou-se com outros lugares e pessoas do VT preanunciando outros objetos mais terríveis e horrorosos. O reino de tiro, por exemplo, em Ez28. O que as Escrituras dizem do rei de Tiro, retrata uma visão muito sinistra dele, e o que é dito do vale de Hinnom, associado ao rei de Tiro, expressa aquilo que é mais terrível .

C) Gehenna, no NT costuma a referir-se a um lugar em que as pessoas vão perecer. Mt5.29, Mt18.9

D) O fogo do Gehenna é eterno e nunca será apagado Mc9.43-44.

E) Gehenna é o lugar no qual será colocado o homem completo, o que aponta para depois do juízo de Deus em que os homens serão destruídos Mt10.28. A importância dessa passagem é fundamental porque ela consegue expressar o sentido do termo.

A destruição da alma e do corpo é uma prova positiva que Cristo não está confundindo Hades com Gehenna, ao contrário, um é diferente do outro. E ainda a destruição do corpo não significa aniquilamento.

F) Gehenna é identificado com o lago de fogo. MT 10.28, o que mostra que o mal será destruído Mc9.43. Uma curiosidade interessante é que em nenhum lugar é dito que hades e sheol é lugar de fogo. Veja a comparação em Ap19.20, 20.14.

 

A NATUREZA DA PUNIÇÃO QUE ESPERA OS PERDIDOS

 

1) A porção dos perversos é dada imediatamente após a sua morte. Voltamos primeiramente ao ensino de nosso Senhor Jesus em Lc16. Aqui, nós aprendemos o seguinte fato: Que no inferno os perdidos estão possuídos de completa faculdade e sensibilidades.

Eles vêem, pois o homem rico viu Abraão e depois viu Lázaro no seio dele, em seu peito reclinado vs23. Eles sentem, ele estava em tormento vs24. Eles gritarão por misericórdia, pedindo em vão um pingo de água vs24. Eles tem memória porque o homem rico deveria lembrar-se do que ele havia recebido durante a vida na terra vs25. é impossível para eles unirem-se aos redimidos, há um grande abismo entre eles vs26.

A solenidade desse anuncio é total. Não unicamente o perdido será atormentado em chamas eternas, mas eles terão suas angustias imensuravelmente aumentadas por verem a existência dos redimidos confortada.

Então eles verão a felicidade que eles desprezaram, preferindo os prazeres do pecado desta vida. E a retenção de suas memórias a respeito de Cristo, aumentará os seus sofrimentos.

Neste local, haverá choro e ranger de dentes e todas essas angustias e misérias terríveis, denotarão a completude dos sofrimentos que acontecerão sobre a vida daqueles que não amaram e serviram a Cristo Mt8.12;13.42-50;22:13; 24:51; 25:30;Lc13.28.

 

2) A porção final dos perversos. É dito que sua existência será de eterna punição para todo o sempre e sempre fora da presença de gozo e de prazer do Senhor IITs1.9. estes serão para sempre separados da fonte de alegria e paz que é o Senhor. É uma sentença eterna de banimento da presença do Senhor, conforme Mt25 evidencia.

 

3) A porção final dos perversos é de tormento. Isso é demonstrado pelo fato que o fogo eterno para onde o ímpio, descrente de Cristo como salvador irá, está preparado para o diabo e seus anjos Mt25.41, esse verso enfatiza o horror dessa punição, mais do que especificamente aqueles que irão suportar esse tormento.

Esse texto mostra a severidade da punição do perdido. Se o fogo eterno está preparado para o diabo e seus anjos, quão intolerável ele será. Se o local de eterno tormento para o qual todos os incrédulos serão lançados é o mesmo local que o diabo inimigo de Deus sofrerá, quão terrível esse lugar deve ser 2Pe2.4. O sofrimento que esse local preparado para o diabo e seus anjos  é de maior sofrimento possível, e isso é claro em Ap20.10 .

Satanás não será o atormentador do inferno como muitos de nós pensávamos e ensinamos, o diabo, satanás, será atormentado no inferno pelo poder santo do santo juízo de Deus e esse tormento será eterno, e isso pode ser visto nas palavras, de dia e de noite.

Não há dúvida também de que o tormento será interno e externo, mental e físico. A palavra ocorre pela primeira vez no NT em Mt8.6. e essa mesma palavra ocorre em Ap9.5-6, a intensidade será tão enorme dos sofrimentos que os homens pedirão a morte.

 

4) A porção final dos incrédulos é de sofrimento e vingança de eterno fogo Jd7. Mas muitos dizem que isso é meramente uma expressão figurativa. Nós perguntamos, como eles sabem que isso é figurativo? Onde é que Deus disse isso em sua palavra? Pessoalmente, nos cremos que quando Deus disse, fogo, Ele quis dizer fogo. O dilúvio foi figurativo? O fogo que desceu sobre Sodoma e Gomorra foi figurativo? As pragas do Egito foram figurativos? Portanto, por mais que não saibamos explicar isso a contento de todos, a bíblia mostra que algo corporal pode pegar fogo sem se consumir, a sarça por exemplo, Ex3, os amigos de Daniel Dn3. Um fogo quando preparado por Deus, pode fazer qualquer coisa que Deus queira Mt25.41.

 

5) A porção dos incrédulos é descrita em associação com os desprezíveis Ap21.8. Os incrédulos podem ter cultura e refinamento ou educação. Sua vida pode ser sem mancha e exemplar, você pode orgulhar-se de sua honestidade e verdade, os ímpios podem ser particulares nas escolhas dos amigos, e cuidadoso para evitar a companhia de gente viciada e profana, o ímpio pode ser um religioso ou olhar alguém com desdém ou piedade, mas as Escrituras dizem que se a pessoa morrer no estado de pecado e sujeira em que vive, terá a sua porção no inferno de fogo.

 

6) A porção final dos incrédulos é descrita como negridão de trevas eternas Jd13. Sem alívio será o sofrimento pavoroso, interminável e ininterrupto desses tormentos. Não haverá possibilidade de suspender temporariamente. Não haverá esperança de livramento. Não será encontrado quem seja capaz de auxiliar e interceder por eles junto a presença de Deus.

Eles não terão um mediador, como tiveram aqui na terra, eles terão que oferecer sua própria justiça e ela nunca será aceita, pois é produto de uma justiça impura e imprópria.

5 Respostas to “O destino dos homens ímpios”

  1. Robson Jair Pereira
    12/06/2011 at 23:55 #

    Excelente artigo, idéias claras e bíblica.
    A verdade como deve ser dita……valeu Nel.

  2. Aildo Oliveira
    27/06/2011 at 1:01 #

    Muito bom assunto.

  3. Vanir dos Reis Silva
    02/09/2011 at 16:57 #

    Meu nome é Vanir dos Reis Silva, sou evangelista, em Miracema-RJ. Gostei muito do estudo Bíblico escrito pelo irmão. Afinal, ser Presbiteriano é ser privilegiado. É um assunto excelente.

  4. Alisson Barateli Bodelon
    15/11/2011 at 20:36 #

    Pastor Nelson, a paz do Senhor Jesus!
    Percebo que lhe é característico a abordagem de temas doutrinários com riquezas de detalhes na argumentação, precisão e coerência Escriturística. Por isso muito me deleito em seus artigos, comentários, pregações e ensinos! Aliás, creio que Deus faz coisas assim, para a edificação e alegria de Sua Igreja; e para o louvor de Sua glória!
    Há muita confusão acerca do estado intermediário e final da alma, sobretudo, em nossos dias. Alguns entendem que a alma se encontra em um “estado de consciência” apenas, enquanto aguarda o juízo do Grande Dia, como que em uma “solitária”, sendo destinada a um lugar somente depois desse terrível acontecimento(digo, o juízo final). Não compreendem nem o inferno, nem o paraíso como lugares espirituais, onde o inferno em específico, pode ser retratado como “a grande penitenciária do universo”. Todavia, de acordo com a sua análise em determinados textos, me parece claro que, tanto o inferno como o paraíso(estados intermediários), são lugares espirituais onde as almas se encontram, obviamente, em estado de consciência. Outrossim, a distinção feita entre Hades (inferno) e geena (lago de fogo/fogo eterno) foi perfeita. E detalhe, abismo(lugar onde se encontram entidades demoníacas aguardando a condenação do lago ardente), também não pode ser confundido com inferno. Inferno é o lugar de destino da alma que parte deste plano(desta vida) sem a salvação, e não o lugar do diabo ou de demônios! E particularmente, creio que existirão níveis de tormento para as almas não redimidas em seu estado final, e não somente tormento em suas almas, mas também sofrimento nos corpos de sua carne literalmente(Mt 11.20-24)! Pois a mesma regra hermenêutica para a interpretação dos galardões dos crentes deve ser aplicada quanto a sentença dos réprobos! A questão é existencial em sua natureza!…Agora, quanta ousadia(no sentido positivo da palavra)ao declarar que o fogo da eterna condenação pode ser literal! Pastor Nelson, o senhor é crente mesmo!rsrs! Muito embora, acredite que conjecturaste, e não afirmaste coisa tal! Mesmo porque, quando nos referimos a questões relacionadas à metafísica, em passagens sobre, por exemplo, céu e inferno(ruas de ouro, muros de cristal, fogo e etc.)precisamos tomar cuidado com a literalização. Todavia, concordo com o senhor, que se Deus, Nosso Senhor, quiser torná-las literais, NINGUÉM TERÁ NADA QUE VER COM ISSO! Aleluia!
    Um abraço e saúde!
    Somente a Deus glória!

  5. EDILEUSA SALVIANO SILVA
    15/03/2012 at 15:09 #

    REALMENTE SAO ESTUDOS QUE MUITOS NAO FAZEM ,NAO SABEMOS O PORQUE POIS ,SAO VERDADES ,AONDE NAO PODEMOS CORRER DELA ,SABEMOS QUE SO EXISTE DOIS CAMINHOS CEU E INFERNO,MAS MUITOS DIMINUEM O TEOR DO QUE INFERNO,TEMOS FALAR SIM POIS LA COMO DIZ O ARTIGO NAO PODEMOS MAIS.REALMENTE VC FOI FELIZ NESSE ARTIGO QUE DEUS OS ABENÇOE GRANDEMENTE E TE DE GRAÇA E MISSERICORDIA.

Deixe uma Resposta